} Galeriacores Cartoon Notícias: Pablo Picasso lidera "top ten" dos artistas mais roubados do mundo

Home

 

Galeriacores Cartoon Notícias

Um blog de cartoons sobre as notícias da actualidade. Um sector informativo do Grupo Galeriacores.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Fazer dinheiro, trabalhar em casa, ganhar muito dinheiro, emprego, ser rico, criar empresa, fazer dinheiro, computador


Pablo Picasso lidera "top ten" dos artistas mais roubados do mundo

Para ver a animação clique neste cartoon e aguarde uns segundos. To view the animation click on this cartoon and wait a few seconds.
Azores, Açores, Azoren, Ilhas, Terceira, S.Miguel, Faial, Graciosa, Santa Maria, Pico

O pintor espanhol Pablo Picasso encabeça o "top ten" dos artistas mais cobiçados pelos ladrões: nenhum autor vivo ou morto tem tantas obras roubadas ou desaparecidas como ele, segundo uma lista anualmente actualizada pela Art Loss Register.

O pintor natural de Málaga não só é o líder indiscutível da lista, como o faz com uma enorme e trágica vantagem, com 693 obras roubadas - mais 305 do que o segundo classificado, Joan Miró, e mais 327 que o terceiro, Marc Chagall, revelou a ALR, empresa sedeada em Londres e que opera em todo o mundo, hoje citada pelo diário espanhol El Mundo.

Além dos roubos, a lista da ALR inclui também as obras recuperadas que, a avaliar pelos números, não são muitas.

Por exemplo, das 693 obras de Picasso roubadas, 572 continuam em paradeiro desconhecido, entre as quais "Cabeça de Cavalo" (1962) e "Copo e Jarra" (1944), ambas roubadas em Pfaeffikon (Suíça) no início de Fevereiro deste ano e das quais não voltou a saber-se nada.

A percentagem de obras resgatadas é muito reduzida e, apesar do empenho de empresas como a ALR, criada precisamente para pôr termo aos roubos de obras de arte e cuja origem remonta aos anos 70, em Nova Iorque, a um arquivo então inoperante por não estar informatizado.

A criação da ALR, nos anos 90, beneficiou das vantagens da informatização e colocou à disposição dos negociantes e dos galeristas uma base de dados que inclui cerca de 170 mil objectos roubados.

A lista aumenta em cerca de 10 mil obras por ano e reúne informação procedente de todo o mundo.

Os interessados em consultá-la têm duas opções: pagar uma quota de 435 euros por ano, que dá direito a 30 consultas, ou pagar 35 euros por cada consulta.

A ALR obteve alguns êxitos, como a recuperação, em 1997 e 1999, de naturezas mortas de Manet e Cézanne, roubadas em 1977 e 1978, e também o resgate, há dois anos, do quadro "Mulher de Branco lendo um Livro", de Picasso, roubado em 1940.

No entanto, o avanço na luta contra os ladrões é difícil e uma base de dados apenas pode limitar os danos até determinado ponto, já que, muitas vezes, as obras vão directamente para coleccionistas: são roubadas por encomenda ou estes nem sequer se preocupam com a origem das mesmas, que depois permanecem longe do olhar do público.

Da lista, sobressaem alguns pormenores como, por exemplo, o facto de os pintores sofrerem mais roubos do que os escultores e de os artistas contemporâneos serem mais roubados que os clássicos.

Para ambas as coisas há uma explicação: a primeira, prende-se com o volume e o peso das obras, e a segunda com o facto de os quadros dos antigos mestres estarem sobretudo expostos em museus públicos, mais protegidos do que os dos novos autores.

Existem, de qualquer forma, excepções a estas duas regras: os escultores Henry Moore e Rodin ocupam os 12.º e 13.º lugares e, quanto a autores clássicos, na sexta posição encontra-se o alemão Albert Durer - com 215 gravuras desaparecidas -, a sétima pertence a Rembrandt, com 209 obras em paradeiro desconhecido, 173 das quais não foram recuperadas.

Um pouco mais afastados, estão Rubens, Van Dyck e Goya e, entre clássicos e modernos, os impressionistas ocupam a zona intermédia da tabela: Degas regista 84 roubos e Toulouse-Lautrec 82, situando-se nos lugares 15.º e 17.º, respectivamente.

Surpreendentemente relegados para os lugares inferiores da lista estão artistas como Van Gogh (31.º lugar), Munch (33.º) e Kokoschka (38.º), bem como artistas tão cotados como Basquiat (52.º) ou Kandinsky (53.º), o que é justificado pelo facto de a lista não ser reflexo das preferências dos ladrões mas das suas capacidades.

Fonte da notícia: RTP Lusa

Etiquetas: , , , ,

2 Comentários:

Anonymous LouresCriativa disse...

Obrigada ficamos muito felizes com o comentário:D...
Os cartoons estão muito giros;).

05 março, 2008 18:34  
Blogger Galeriacores disse...

Agradeço a sua visita e o comentário. Volte sempre.

05 março, 2008 19:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial


Jorge Goncalves

web site hit counter

Add to Technorati Favorites
Estou no Blog.com.pt

Galeriacores / Home I ForumsIGrupo/Groups I Cartoons I Publicações I Culinária/Recipes

Altar virtual /Chapel I Notícias dos Açores I Notícias da Graciosa I Links I Fotos-Photos


Pesquisa personalizada

Outros blogs de interesse:

Notícias da Ilha Graciosa
Notícias dos Açores
Curiosidades
TV grátis via Satélite
Satellite free TV
Desgarradas pela Internet
O mundo da música grátis
Plantas Milagrosas
Saúde e dietas
Galeriacores cartoon humor


Photography Newsfeed:




Galeriacores © Some rights reserved

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Contacte o dono deste blog:

Galeriacores@gmail.com




Melhor visualização com a Internet Explorer / Best viewd with the Internet Explorer