} Galeriacores Cartoon Notícias: D. Duarte de Bragança faz perguntas à democracia

Home

 

Galeriacores Cartoon Notícias

Um blog de cartoons sobre as notícias da actualidade. Um sector informativo do Grupo Galeriacores.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Fazer dinheiro, trabalhar em casa, ganhar muito dinheiro, emprego, ser rico, criar empresa, fazer dinheiro, computador


D. Duarte de Bragança faz perguntas à democracia

Para ver a animação clique neste cartoon e aguarde uns segundos.
To view the animation click on this cartoon and wait a few seconds.




Mensagem de D. Duarte de Bragança, chefe da Casa Real Portuguesa e presidente de honra do Instituto da Democracia Portuguesa, proferida hoje, por ocasião do encerramento do I Congresso Marquês Sá da Bandeira em Lisboa:

PERGUNTAS À DEMOCRACIA


Tem vindo a crescer em Portugal um sentimento de insegurança quanto ao futuro, sentimento avolumado por uma crise internacional, económica e social, de proporções ainda não experimentadas pela maioria dos portugueses. São momentos em que importa colocar perguntas à Democracia que desejamos.

Admitindo-se que a situação concreta é grave, torna-se necessário encará-la de frente, antevendo todos os aspectos em que os portugueses experimentam dificuldades.

Os tempos de crise vão-nos trazer privações mas também vêm exigir reflexão. Este é o momento de olharmos para o que somos. Para este país tão desaproveitado. Para a sua costa atlântica com Portos tão ameaçados, para uma fronteira tão vulnerabilizada, para um património cultural tão desaproveitado.

Temos de perguntar até onde deixaremos continuar o desordenamento do território, que levou a população a concentrar-se numa estreita faixa do litoral, ocupando as melhores terras agrícolas do país e esquecendo o interior, reduzido a 10% do PIB.

Temos de perguntar à economia portuguesa por que razão os bens de produção são despromovidos perante os “serviços”, o imobiliário, e ultimamente, os serviços financeiros. O planeamento das próprias vias de comunicação se subjugaram a essa visão.

Temos de perguntar até onde o regime democrático aguenta, semana após semana, a perda de confiança nas instituições políticas e uma atitude de “caudilhização” do discurso.

Temos de perguntar até onde continuaremos a atribuir recursos financeiros a grandes naufrágios empresariais, ou a aeroportos e barragens faraónicas que são erros económicos.

Temos de perguntar até onde o sistema judicial aguenta, sem desguarnecer os direitos dos portugueses, a perda de eficácia e a morosidade crescente dos processos.

Temos de perguntar se não deveríamos estabelecer um serviço de voluntariado cívico em que os desempregados possam prestar um contributo à comunidade.

Temos de perguntar até onde as polémicas fracturantes que só interessam a uma ínfima minoria política, não ofendem a imensa maioria das famílias, preocupadas com a estabilidade pessoal e económica.

Temos de perguntar como vamos aproveitar o ciclo eleitoral que se avizinha, a começar pelas eleições europeias, onde será desejável que apareçam independentes que lutem pelos interesses nacionais.

Temos de perguntar se nas relações lusófonas, estamos a dar atenção suficente às relações especiais que sempre existiram entre Portugal e o Brasil.

Para ultrapassarmos as dificuldades, precisamos de todos os nossos recursos humanos em direcção a uma economia mais “real”, mais sustentada, mais equitativa, uma economia em que respirem todas as regiões a um mesmo “pulmão”.

Apesar de tudo, o nosso sector bancário fugiu das estrondosas irresponsabilidades dos congéneres mundiais. Saibam os Governos regulamentar os apoios para as empresas grandes, médias ou pequenas mas que sejam produtivas.

Em regime democrático, exige-se processos e discursos ditados pelo imperativo de responsabilidade. A equidade e integridade territorial só poderão ser obtidas com a participação de todos, e com sacrifícios para todos.

Estamos confiantes que somos capazes de fazer das nossas fragilidades as nossas maiores vantagens. Onde outros tiveram soluções muito rígidas que falharam, nós venceremos promovendo os portugueses que lutam por um país de imensas vantagens competitivas.

Mostremos como somos um grande País, uma Pátria em que todos cabem porque acreditam na Democracia. Portugal precisa de mostrar o seu projecto para o século XXI. Pela minha parte, e pela Casa Real que chefio, estou, como sempre, disponível para colaborar.

D. Duarte de Bragança

Lisboa, 3 de Março de 2009
Discurso de encerramento do I Congresso Marquês Sá da Bandeira


Fonte: IDP

Etiquetas: , , , , , , , ,

9 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Ganda Site! Nada mau ter ái um gajo independente a bombar perguntas certas, como este D duarte. nunca tinha pensado nisto de haver um rei na republica mas se calhar é quem fazia a diferença para mudarmos a classe politica e arranjar outra melhor! Eh pá, digam lá ao rei que hoje arranjou mais um adepto!

04 março, 2009 16:22  
Anonymous Anónimo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

04 março, 2009 16:50  
Anonymous Anónimo disse...

V. têm pouco que fazer para postar sobre este assunto. Enfim, o tal d duarte.. nakilo k diz o man tá certo.. ... pá, isso, irrita-me um bocado mas o gajo está certo!

04 março, 2009 17:01  
Anonymous Anónimo disse...

Man bué de fixe meu ! Já vou por no meu msn :))

04 março, 2009 17:56  
Blogger Gal1 disse...

Obrigado pelo seu comentário, volte sempre.

04 março, 2009 18:19  
Anonymous Anónimo disse...

O Sr. Duarte Pio devia era dar respostas à democracia e ao estado de direito, não era fazer perguntas.

Afinal ele está completamente desmascarado na página www.reifazdeconta.com ele sim personifica uma fraude histórica contra Portugal.

04 março, 2009 19:37  
Anonymous Anónimo disse...

O verdadeiro faz de conta está aqui

http://reifazdeconta.blogspot.com

sim personifica a fraude histórica contra Portugal !

04 março, 2009 21:12  
Blogger Gal1 disse...

Entrei para agradecer de novo os seus comentários e também os respectivos links sobre D. Duarte.
Em termos de política gostaria de salientar que apoio o nosso Primeiro Ministro José Sócrates a 100% e estou absolutamente convencido que ninguém realmente poderia fazer melhor do que ele tem feito por Portugal.
Este blog está sobretudo vocacionado para os cartoons que são baseados nas notícias de maior relevo e tento a todo o custo manter uma certa neutralidade relativamente à política embora a minha preferência seja aquela que eu já referi.
Obrigado uma vez mais pelos links e pelos seus comentários. Bem haja

04 março, 2009 22:21  
Anonymous Anónimo disse...

Caros
Fui ver o http://reifazdeconta.blogspot.com/ e fiquei esclarecido. Há sempre uns palhaços que perderam o comboio da historia e que ficam ao lado do coliseu como esse tal de poidimani que eu nunca ouvira falar e os dois tugas que já vira num jornal
Viva o Rei, D Duarte e viva a República. Ambos são compatíveis.

05 março, 2009 15:38  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial


Jorge Goncalves

web site hit counter

Add to Technorati Favorites
Estou no Blog.com.pt

Galeriacores / Home I ForumsIGrupo/Groups I Cartoons I Publicações I Culinária/Recipes

Altar virtual /Chapel I Notícias dos Açores I Notícias da Graciosa I Links I Fotos-Photos


Pesquisa personalizada

Outros blogs de interesse:

Notícias da Ilha Graciosa
Notícias dos Açores
Curiosidades
TV grátis via Satélite
Satellite free TV
Desgarradas pela Internet
O mundo da música grátis
Plantas Milagrosas
Saúde e dietas
Galeriacores cartoon humor


Photography Newsfeed:




Galeriacores © Some rights reserved

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Contacte o dono deste blog:

Galeriacores@gmail.com




Melhor visualização com a Internet Explorer / Best viewd with the Internet Explorer